Histórico

 

A coleta seletiva de materiais recicláveis vem ocorrendo na UFV desde 1970, porém foi com a criação em 1995 do Projeto Reciclar que a coleta seletiva institucionalizou-se no Campus, recebendo uma estruturação técnica.

A partir de então, papel, plástico, vidro e metal começaram a ser coletados com regularidade. Em 1996 a coleta seletiva passou a ser sistematizada utilizando um caminhão basculante. O material reciclável era coletado duas vezes por semana, por iniciativa da equipe do Serviço de Parques e Jardins. Naqueles anos houve intensa divulgação da coleta seletiva por meio de seminários, cursos, programas e “vinhetas” de televisão elaboradas pela TV-Viçosa.

A participação individual e coletiva da comunidade universitária no processo da coleta seletiva resultou em um considerável aumento da quantidade de materiais recicláveis recolhidos no Campus. Durante o ano de 1994, antes da implantação do Projeto Reciclar , foram recolhidas 20 toneladas de papel e papelão. Com a implantação do Projeto em 1995, a quantidade de materiais recicláveis recolhidos no Campus da UFV aumentou significativamente. Foram recolhidas 45 toneladas de materiais no ano de 1995 e 47 toneladas em 1996. Em 1997, após a construção do Galpão do Projeto Reciclar , a coleta seletiva foi expandida atingindo 70 toneladas em 1998 e 84 toneladas 1999, respectivamente. Em 1999, por iniciativa da Divisão de Manutenção da UFV, a coleta seletiva passou a ser diária abrangendo todo o Campus, que nesta época possuía mais de 50 pontos para a disposição do material para a coleta seletiva.

Nos últimos dez anos, com o maior envolvimento de servidores, responsáveis pela organização e prática da coleta, comunidade universitária em geral, contando sempre com apoio da Administração da UFV, são recolhidos, além do tradicional papel e papelão, todos os tipos de plásticos, vidros e sucatas em geral. Os problemas ainda não estão resolvidos, pois se estima que mais de 50% dos materiais potencialmente recicláveis ainda são descartados junto ao lixo da coleta convencional, entretanto tem-se verificado um gradual aumento na participação da comunidade universitária em relação à problemática dos resíduos e uma maior eficiência nos serviços ligados a coleta seletiva, resultando em um aumento significativo no volume dos materiais recicláveis recolhidos na Universidade. A importância educativa e social do Projeto Reciclar aumenta na medida da conscientização individual e coletiva da Comunidade Universitária, ao mostrar que todos são produtores de resíduos e, portanto, todos devem ser participantes ativos no processo de buscar melhores alternativas para seu destino final. Assim sendo, as soluções também pertencem a todos, individual e coletivamente.